Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2009

Brazucas

Ordem e progresso!
Que ordem é essa que seguimos?
Qual foi o progresso?
Crenças, credos, cores...
Azul, amarelo, ouro ou prata

Eles sempre dizem que não,
mas desigualdade existi sim!
Todos os dias quando olho nos jornais
eu vejo meu país mudar...
eu vejo ladrões serem eleitos...
eu vejo... e eles querem mudar pra pior!

Meu país virou campeão!
Não é taça de copa ou algo pra orgulhar
meu país tem prisões e senado
onde ladrões governam agente para o passado
meu país tem palmares e males
dos quais não quero falar

Meu país tem o pôr do sol mais bonito que existe,
mas não vemos por estarmos cegos!
Meu país tem assassinos armados
de ideias compradas em comerciais
da globo que globaliza o caos...
Ou não?!

Nossa moeda é ireal
Vale menos que todo o sangue gasto
para conseguir nos alimentar...
Sem futuro nem passado...

Deveria não ter orgulho de morar aqui,
Mas sou brasileiro
E só pelo fato de ser brasileiro
Já tenho!

Vagando Sem Rumo em Direção a Lugar Nenhum...

“Atingir um objetivo que você nunca almejou é tão difícil quanto voltar para um lugar que você nunca foi.”
Autor Desconhecido!Siga sem rumo!

[...] E chegará onde nunca imaginou![...]
Mas antes de chegar corre o risco de despencar num abismo, de tropeçar em pedras ou, ainda, se estrepar entre arbustos espinhosos! Pode ser feliz, pode cortar caminhos ou andar por estradas mais compridas e "curvosas"... Pode cumprir sua missão... Ou nunca descobri-la... Pode realizar seus desejos ou morrer em paz ou morrer sem nada de mais... E, principalemte, sem descobrir o amor... Sem descobrir o que te trás! Quando se cansar de caminhar tu podes parar para descansar em qualquer lugar, até porque não vai se importar com o tempo nem com a estadia, com o frio, sono ou fome! Não haverá falta de tempo, afinal para quê cronometrar o tempo uma vez que você não sabe aonde quer chega não importa, também, quando chegar! O importante é que você siga! Não pare! Não fique! Não corra! Não se sinta incapaz! Nã…

Com toda perfídia do mundo!

Descobri-me pérfido
Mas antes que tu me condenes
Pela minha aleivosia
Justifico minha declaração
Descobri-me Pérfido
Comigo mesmo
Se é que é possível...
Tenho atitudes de perfídia
Todos os dias
E diga-me
Se tu, em algum momento,
Não agiu faltando com a verdade?
Mesmo sem intenção de prejudicar
Talvez, sem desservir ninguém
Além de tu, uma vez que, sempre te fere
Toda vez que age falsamente
Sempre me firo...
Mas continuo tentando não magoar ninguém
A verdade, em alguns casos, machuca
A falta dela adia a dor
Então, como não sabes se tu estarás aqui amanhã
Ou em um sepulcro qualquer
[Só espero que tu estejas: e sejas otimista!]
Então se tiver que me poupar
Minta quando tu falas comigo
Só não te esqueças que um dia...

Que um dia a luz ilumina as trevas
E quem nunca enxergou
Passa a ver!

Escravo do Tempo

Sou escravo do tempo
E ando por curvas e retas incertas
Olho para a estrada e nada vejo
Olho para cima e tudo que enxergo é a tempestade
Quando tento olhar mais longe
Surgem novas nuvens no céu
E o sol fica encoberto restando-me sombras

Olho para o instante
O motivo eu não sei
Mas mesmo assim não enxergo nada
E olho, por fim, o espelho
E continuo vendo a mesma coisa: nada
Não consigo distinguir a face que me encara
Frente ao espelho desconheço o reflexo
Não acredito que eu exista

Danço ao som do canto dos mudos
Ando por caminho guiado por cegos
Consigo sentir o cheiro da água e choro
Corro por caminhos e não ando mais sobre o mar
Na verdade nunca andei
Talvez, em momento algum eu tenha corrido
É certo, que quis outrora apressar o tempo
Mas a cadência dos ponteiros dos relógios não mudou
Continuo e talvez para sempre
Sendo apenas, como você, apenas mais um
Escravo do tempo!

Ser Diferente

Rosa De Saron

Eu tenho que ser diferente
E ser o mesmo também,
Amar sem preconceito
Viver os Teus preceitos
Não rotular ninguém!
Hoje eu acordei com vontade de viver:

Livre para amar
Livre pra perdoar
Livre pra respeitar
Ser livre e nunca desistir de sonhar
E nunca desistir de sonhar...
E nunca desistir...
Nunca desistir de sonhar

Composição: Diego Fernandes e Guilherme de Sá

Vendo o menino passar

Ela correu para janela e viu o menino passar
A saudade bateu, apanhou; foi e voltou ao olhar
Só de pensar em pensar no que foi que aconteceu
Só de fechar os olhinhos a gota de lágrima em sua face desceu

O vento anuncia ao dia a chuva que o céu preparou
E a nuvem debaixo do sol fez a menina parar
Sem saber ela olhou para cima, para baixou e falou
Só você meu menino me faz ser feliz, sorrir e viver
Só você meu menino me entende, apóia e compreende
Não mente e faz-me contente.
O que eu digo ou faço ou peço pra você
Para sentir-me feliz e alegrar-me
Graças a Deus você não pergunta o porquê?

A menina correu pra janela e viu o menino passar
A saudade bateu, apanhou; foi e voltou ao olhar
O que ela viu e a fez sonhar pode ser que não tenha acontecido
Ela viu o menino parar e acenar e sorrir e cantar
E por fim a continuar a andar...

Pré-Paradoxal

Pedaços de pedra
Caminhos, luz e sombra
O utilitarismo tomou conta
Não há mais regras para o Caos
E o que tinha uma ordem e era esperado não existe!

Os fins e meios se confundem e se completam
Não há verdades nem mentiras...
Certo e Errado são dois conceitos substituíveis
Cada vez mais, sendo trocados por
Adequado e Inadequado

E o mundo ficou Antiquado
Antidepressivo tomado por seres reais
Sem semantica ficou curto o léxico
Na profundeza e a simplicidade da menor palavra dotada de significado relacionada a dor:
Amor!

E não existem mais modelos
E o paradoxo do paradoxo é o anti-paradoxo
Complexo, não?
Mas se a vida fosse incomplicável...
E se a vida fosse menos corrida...