terça-feira, 14 de junho de 2016

Segredo

Caro Amigo,

Eu preciso nesta noite de inverno conversar contigo
Em meu silêncio, o gelo qual inferno arde em meu peito, torna-se um perigo
Neste momento, no silêncio, tem-se ausência, perco a essência, fico frio
Há muito tempo desejo abrir meu peito e partilhar-te isto
Neste instante contar-te-ei algo sobre mim
Não é um segredo, mas carrego com medo, trago comigo
Espero que possamos no final desta conversa continuar amigos
Afinal, o que revelarei nem é tão mal assim
Mas preciso mesmo desabafar:
Eu sou bipolar!

Por isso, por vezes, esquivo-me do mundo
Fecho a porta do universo e tranco-me do lado de fora
Ou me ponho do lado de dentro, incomunicável
A solidão e os cantos me fazem bem
Nesta dimensão eu não machuco ninguém
Por isso, meu humor oscila
Por isso meu sorriso, às vezes, some
Mesmo assim, busco nas fases ruins distanciar-me de tudo e de todos
Quando tudo o que eu mais queria, era distanciar-me de mim.
Estratégia que só fere a mim
Por isso às vezes choro
Meu choro é por vezes a única saída!
Eu sou bipolar: guarde este segredo!

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

VERSOS DE UM EX POETA


Ele se dizia poeta, mas não sabia rimar
As pessoas não acreditavam em seus versos
Faltava verdade, faltava vontade, faltava saber amar
Até que ele mesmo deixou de acreditar...

Certa vez, esse nosso amigo poeta, parou de poetizar
Ele percebeu que não tinha mais habilidade com a caneta nas mãos
Suas armas foram colocadas no fundo da gaveta
Do lado de seus sonhos, dos projetos, de sua vida...

Quando era jovem o poeta achava que sabia rimar
Seus poemas em versos livres também pareciam perfeitos
Suas intervenções nas folhas de papéis, considerava-as fabulosas
Ele acreditava que sabia qualquer tema abordar.

O poeta queria voltar para os tempos de outrora
Em que os versos, estrofes e palavras saiam naturalmente
Quando as palavras brotavam não de sua cabeça
Mas suas poesias eram externalização do seu coração.

Quando ele falou para sua mãe que queria ser poeta
Depois de muitas lágrimas, ela preocupada, sentenciou:
'profissão de risco meu filho, não faça isso, por favor!'
Seu pai nada disse, além de que não criara filho pra isso..

Mas o jovem Poeta tinha um sonho de mudar o mundo
E partiu na estrada da incerteza, saiu a poetizar
No caminho, casou, teve filhos, e espalhou versos por onde passou
Mas, certo dia já na velhice, o poeta descobriu que não sabia rimar

Então o poeta pegou seus textos antigos e leu todos
Fez-se Dom Casmurro e se pôs nessa busca por atar as pontas da vida
Enfim percebeu, o problema não estava na falta de rimas
Descobriu quase morrendo que já havia morrido há anos
Quando deixou de saber amar!

terça-feira, 8 de julho de 2014

A Terceira Lei do Amor de Newton

"A toda a ação opõe sempre uma igual reação. Isto é, as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e opostas". Complexo isso? Não muito. Essa Lei de Newton explica muito bem as relações amorosas atuais. Toda ação produz uma reação de igual intensidade em sentido oposto, ou seja, se você der amor vai receber ódio, se você bater, vai ser retribuído com carinho. Se der um tapa, ganha um beijo.

Pois é, não deveria ser assim, mas o que tem-se notado na atualidade é que as pessoas gostam de sofrer, e quanto mais são judiadas, mais elas gostam. Tanto os homens quanto as mulheres são assim, amam quem as fazem sofrer e fazem sofrer quem as ama. Meio ilógico? De forma alguma! Newton já previa isso em sua terceira Lei.

Se queres ser amado então odeie! Se quer se dar bem, faça o mal! Mas será que funciona mesmo? A Lei de Newton é cientificamente comprovada, mas será que no universo amoroso existem regras e modelos preestabelecidos, que devem ser seguidos meticulosamente de forma robótica? Creio que não! No embate entre a emoção e a razão, nem sempre há vencedores, nem sempre há decisões corretas ou erradas, apenas decisões! E por fim, somos sempre derrotados!

sexta-feira, 18 de abril de 2014

sábado, 15 de março de 2014

Abraço Verdadeiro

Um abraço verdadeiro faz toda diferença
Sentir-se inteiramente envolvido
Com sentimentos de real presença
Sensação de preenchimento e importância
Corpos unidos e corações batendo em um ritmo
Mesmo que em corpos distintos
Dois seres em comunhão em um abraço
Apertando-se mutuamente e sentindo

O equilíbrio do corpo muda
A impressão é de que se complementa
Da próxima vez que for abraça
Sinta o corpo todo apertando o seu
Faça a experiência de abraçar
E de preferência sinta-se abraçado
Abrace como se amasse o abraçante
Amasse quem te abraça
Abra os braços e abraça
Aperte bem, e permita-se apertar

Abrace e sinta-se melhor
Melhore o dia de quem te abrace
Abraçando de verdade
Abrace inteiro e não pela metade!

Muitas pessoas me abraçam de verdade
Mas hoje tive que dizer para um amigo
Que eu me sinto bem ao abraçá-lo
Não perca tempo nem oportunidade: Abrace!

sexta-feira, 7 de março de 2014

segunda-feira, 3 de março de 2014

Reconstrução de Palavras Carnavalescas!

Eu queria matar
Mas me sinto morto
Eu queria parar de respirar
E acalmar meu coração
Desacelerar meus batimentos cardíacos
Rearticular meus pensamentos
Alinhando as ideias soltas e abstratas
Eu queria morrer
Eu queria matar o que me faz sofrer
Acabar com o que me causa dor
Mas sinto que tudo que sofro é por minha culpa
Minhas escolhas e meus passos
Seguem para onde eu não sei onde vou
E na loucura de divagar
Lá vou eu: de vagar!
Eu queria voltar a viver
E queria parar de querer e imaginar
Eu gostaria de parar de viver uma ilusão
Recomeçar e partir do princípio
Eu desejo ser feliz
Mas tenho medo de morrer
Talvez só por isso não me mate
Mas todo dia eu morro um pouco
Essa dor me aflige e me faz sofrer
Essa vontade de não existir
E de nunca ter existido
De não ter passado por sua vida
Essa inconstância
Da dúvida e da incerteza
Da impureza dos meus pensamentos
E da verdade em meus sentimentos
Esse meu jeito de ser verdadeiro
Me faz sentir-me um completo nada!
Perdido no deserto dos sonhos
Vejo meu futuro num espelho
Meu desejo: viver!

Top 7