Postagens

Sem Dores

12 Vidas 02: Velório do Antônio

- Ele era um excelente rapaz!
- Todo mundo gostava dele!
- Não merecia essa morte!
- Coitada da mãe dele!
- Pois é... Que absurdo!
- Por que os jovens vão tão cedo?
- Ele sempre foi tão risonho!
- Todos o amavam!
- Eu não consigo acreditar, por que ele meu Deus?
- Nem viveu tudo que tinha pra viver!
- Tinha um futuro tão promissor!
- Era fantástico!
- Eu quero ir junto com você! Não me deixe!
- Eu te amo filho!
- Papai, você 'tá dormindo?
- Eu queria ter te ajudado mais!
- Ele sempre me ajudou tanto...
- Eu não gostava muito dele, mas todos diziam muitas coisas boas a respeito dele!
- Era um bom rapaz!
- Vá em paz!
- Queria que não fosse verdade!
- Lembro quando os primeiros dentes dele nasceu...
- Ele só colheu o que plantou!
- Depois que ele matou aquele homem, ele mudou muito!
- Sofreu muito esse homem!
- Foram quantos tiros?
- Meu filho: Não me deixe!
- Ele sempre foi tão lindo!
- Rosto de anjo!
- Não merecia ter morrido assim!
- Foi assassinado covardemente!
- Não queria vir…

12 Vidas 01: Nó na garganta ou Duas vidas ou Pai e Filha

- Papai, papai...
A voz ainda sonolenta da doce menininha apresentava um ar de susto e medo. Seu pai pôs-lhe a mão em seu rosto e lhe disse:
- Estou aqui minha princesinha!
Lúcio ficou surpreso com o despertar de sua filha. Não fizera barulho algum. Resolveu passar no quarto simplesmente para dar um suave beijo na testa de sua bela princesinha, que já dormia com um ar angelical. Entretanto, não tinha pretensão de acordá-la.
- Desculpe-me querida! Não queria acordá-la...
- Não me acordou papai... Eu estava tendo um pesadelo!
- Não se preocupe. Foi somente um sonho Angélica. Apenas um sonho...
- Mas foi ruim papai, muito ruim.
A voz da pequena criança, de apenas sete anos de idade parecia não querer sair. Ela estava com um tom de voz de quem quer chorar. Seu pai tentou acalmá-la, resolver apertá-la em um forte abraço.
- Quer me contar o pesadelo agora?
Angélica sussurrou:
- Papai...
Ela relutou em prosseguir. Estava com os olhos demonstrando que o sonho, realmente a aterrorizar…

Estação Esperança - Capítulo 1

25 de novembro. Essa era a data que estava nos calendários da loja. Sempre passava por ali, trocava a folhinha para atualizar a data, colocando o dia de hoje. Na verdade fazia isso sempre pela manhã, sei lá, gosto de começar o dia com essa informação ali, para todos verem que o novo dia começou. Mas de qualquer jeito eu tinha que fazer, porque senão ninguém faria. Mas nesse dia 25 quando abri a pastelaria onde trabalho vi um senhor sentado no chão, achei que estava passando mal e logo perguntei se ele precisava de alguma coisa. _O senhor está bem? Quer que eu lhe ajude? _Obrigado rapaz - respondeu o velho com ar de cansaço - só estou deixando o tempo passar um pouco para voltar para minha casa. Minha filha brigou com seu marido, e ele acabou batendo em meu neto. Saí pois não aguentei ver a cena. Fiquei com sentimento que alguns definem como dó do velhinho, pois não sabia se eu poderia ajudar de alguma forma... _Daniel! - meu chefe falando aos berros me chamou - anda logo q…

Segredo

Caro Amigo,

Eu preciso nesta noite de inverno conversar contigo
Em meu silêncio, o gelo qual inferno arde em meu peito, torna-se um perigo
Neste momento, no silêncio, tem-se ausência, perco a essência, fico frio
Há muito tempo desejo abrir meu peito e partilhar-te isto
Neste instante contar-te-ei algo sobre mim
Não é um segredo, mas carrego com medo, trago comigo
Espero que possamos no final desta conversa continuar amigos
Afinal, o que revelarei nem é tão mal assim
Mas preciso mesmo desabafar:
Eu sou bipolar!

Por isso, por vezes, esquivo-me do mundo
Fecho a porta do universo e tranco-me do lado de fora
Ou me ponho do lado de dentro, incomunicável
A solidão e os cantos me fazem bem
Nesta dimensão eu não machuco ninguém
Por isso, meu humor oscila
Por isso meu sorriso, às vezes, some
Mesmo assim, busco nas fases ruins distanciar-me de tudo e de todos
Quando tudo o que eu mais queria, era distanciar-me de mim.
Estratégia que só fere a mim
Por isso às vezes choro
Meu choro é por vezes a única saída!
Eu sou bipo…

VERSOS DE UM EX POETA

Ele se dizia poeta, mas não sabia rimar As pessoas não acreditavam em seus versos Faltava verdade, faltava vontade, faltava saber amar Até que ele mesmo deixou de acreditar...
Certa vez, esse nosso amigo poeta, parou de poetizar Ele percebeu que não tinha mais habilidade com a caneta nas mãos Suas armas foram colocadas no fundo da gaveta Do lado de seus sonhos, dos projetos, de sua vida...
Quando era jovem o poeta achava que sabia rimar Seus poemas em versos livres também pareciam perfeitos Suas intervenções nas folhas de papéis, considerava-as fabulosas Ele acreditava que sabia qualquer tema abordar.
O poeta queria voltar para os tempos de outrora Em que os versos, estrofes e palavras saiam naturalmente Quando as palavras brotavam não de sua cabeça Mas suas poesias eram externalização do seu coração.
Quando ele falou para sua mãe que queria ser poeta Depois de muitas lágrimas, ela preocupada, sentenciou: 'profissão de risco meu filho, não faça isso, por favor!' Seu pai nada disse, além de que n…