sábado, 28 de agosto de 2010

Quando o assunto é eleição - 4

Pois é, saiu hoje no IG a reportagem abaixo sobre a proibição de se fazer humor na Tv e no rádio sobre políticos. Parabéns ao ministro que parece não ter merda na cabeça!


Ministro do STF autoriza piadas de políticos na TV e rádio

Ayres Britto derrubou artigo da Lei Eleitoral que impedia paródias e engessava humoristas; Matéria será discutida no plenário

Severino Motta, iG Brasília | 26/08/2010 22:24


O ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu parte da Lei eleitoral e permitiu que humoristas façam sátiras e piadas com políticos. A decisão foi tomada numa Ação Direita de Inconstitucionalidade (ADI) proposta pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert). Caberá ao plenário da Corte, possivelmente na semana que vem, analisar a questão e manter ou derrubar a decisão de Britto.

Segundo o ministro, piadas, trucagens ou montagens que degradem ou ridicularizem os candidatos fazem parte da liberdade de expressão. Ele destacou, contudo, que o trecho da legislação que impede veiculações de quadros que “venham a descambar para a propaganda política, passando, nitidamente, a favorecer uma das partes na disputa eleitoral, de modo a desequilibrar o princípio da paridade de armas” continua valendo.
Mas, mesmo nestes casos, não pode haver censura prévia, sendo necessário que os políticos que se sentirem prejudicados recorram a Justiça para a análise de cada caso específico.

A proibição de humor no rádio e na televisão foi motivo de um protesto de humoristas, que reuniu cerca de 500 pessoas no último domingo na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Com a decisão de Britto, programas como o Casseta & Planeta, da TV Globo, O Pânico na TV, da Rede TV e o CQC da Band ficam autorizados a produzir quadros com os políticos. Uma nova proibição só acontecerá se, ao levar o assunto para o plenário, a maioria dos ministros do STF entenderem que a lei derrubada por Britto deve voltar a valer.

Fonte: Último Segundo - IG

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Quando o assunto é eleição - 3

Política? Não vi, não ouvi, não disse nada! Aliás, não sei de nada! - Alam de Oliveira


Pois é...

Em julho comecei a falar de Eleições e política e coisa e tal e tal e coisa, mas... agora vou falar de coisa séria: a proibição aos humoristas de fazer piadas sobre políticos no período eleitoral. Pois é, parece piada, mas é verdade!

No último final de semana os humoristas protestaram no RJ contra lei que proíbe fazer este tipo de piada com políticos. A passeata reuniu nomes do primeiro time do humor brasileiro. A multidão caminhou e brincou da orla de Copacabana ao Leme.

Mas o que me intriga é: se está proibido fazer piada com os políticos porque quando agente assiste a propoganda eleitoral gratuita e OBRIGATÓRIA (DEMOCRACIA É ISSO: Obrigar as emissoras de Rádio e TV a transmitirem simultaneamente a mesma BABOSEIRA)... Mas enfim, como dizia, o que me intriga é como permitem aos candidatos falarem tanta asneira (nada contras os asnos, mas espero que eles (os asnos-animais) quando lerem (se lerem) isto me entendam) que eles (políticos-candidatos) por si só fazem piadas com eles mesmos.

A própria propaganda eleitoral é uma piada. Eu particularmente, sempre que posso assisto, porque é muito engrassado. As caras e bocas e o discurso é muito interessante (hilariante)... Falsidade agente não vê por aqui!

Quando o assunto é eleição... o Brasil é mestre em fazer rir, mesmo quando proibe seus comediantes de falarem, de fazerem piadas, enfim... de mostrar quão burros são os nossos representantes (que nós mesmos escolhemos - irônia, né?)

* No próximo texto sobre política vou falar um pouquinho sobre os jingles. (ISTO É!, se a democracia do Brasil não proibir Blogs, redes sociais, jornais, revistas, Tv, rádio... de falarem de política). 

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Sobre o metrô, a vida e o amor!

Vi hoje, enquanto observava a paisagem urbana através da janela lateral do metrô de Belo Horizonte, que mais parece um trem urbano, mas isto não vem ao caso... como dizia, observei a existência de uma planta entre os dormentes, no meido das pedras que forram o chão dos trilhos.

Notei a presença de uma planta no terreno, não digo solo, pois a costuma-se associar a ideia de solo à terra, mas como ela está muito abaixo da espessa camada de pedras azuis, como se fossem grandes britas, que estão dispostas por todo o intinerário do metrô: de Venda Nova ao Eldorado (estações terminais da linha de metrô da capital mineira).

Pois é, mas o que tem isto de importante?

Talves nada, entretanto, refletindo interiormente, cheguei a conclusão que existe vida mesmo onde tudo que se encherga é morto e inerte. Analogamente, é possível crer que existe amor mesmo onde só percebe-se a presença de ódio.

Veja só, havia vida num solo inóspito, mas mesmo assim uma força estranha fazia algo existir naquele local.

São poucas as pessoas que veem a pequena planta de largas folhas verdes entre os trilhos que sustentam o metrô quando este ruma sentido Eldorado, mas quer vejamos ou não... a planta sempre vai estar lá! Com a vida e o amor acontece da mesma forma. Eles não dependem que o outro saiba que exitem, continuam existindo, entretanto, são muito mais belos e bem aproveitados quando reconhece-se suas existências.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Eu sei...

Eu sei
Eu sei que tu sabes
Eu sei que tu sabes que eu sei
Eu sei que tu sabes que eu sei que tu sabes

(...)

Eu sei que tu sabes que eu sei que tu sabes que eu sei que...

Pois é, tem coisas que são assim... infindáveis: começam e não tem fim... tem coisas que são repetidas quase automaticamente ou elas são como esta sequência... tão inúteis quanto alguns acontecimentos em nossa vida...

Já reparou como algumas discussões são tão sem pé nem cabeça que não tem sentido continuar na disputa para ver quem é dono da razão? Pois é, normalmente quem complica ou dificulta a situação somos nós mesmos... aliás por qual motivo falar que já sabemos que o outro sabe se isto não vai mudar em nada a vida de ninguém?

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Sombrio

Ódio...
Sangue e dor!
Tem algo assim aqui...
Olhares desconfiados...
Risos!
Olhares atravessados...
Mais lábios escondendo a maldade!
O clima é de falsidade
Tudo fede
Vontade:
Ser assassino
E se de algum crime for condenado
Pago a pena com gosto
Se for pra me ver livre de vocês!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Eclesiástico: A alegria do coração é a vida do homem

Eclesiástico 30, 22-27:


22. Não entregues tua alma à tristeza, não atormentes a ti mesmo em teus pensamentos.

23. A alegria do coração é a vida do homem, e um inesgotável tesouro de santidade. A alegria do homem torna mais longa a sua vida.

24. Tem compaixão de tua alma, torna-te agradável a Deus, e sê firme; concentra teu coração na santidade, e afasta a tristeza para longe de ti,

25. pois a tristeza matou a muitos, e não há nela utilidade alguma.

26. A inveja e a ira abreviam os dias, e a inquietação acarreta a velhice antes do tempo.

27. Um coração bondoso e nobre banqueteia-se continuamente, pois seus banquetes são preparados com solicitude.


Ótimo dia para todos!!!

18 de Novembro - Loucura Protestante

Por que mais de 900 pessoas se mataram por causa deste homem? Até os ataques de 11 de setembro, a maior tragédia envolvendo ações d...