Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2011

Hades Angelicus - Capítulo I: As dores de um passado que se faz presente

- Papai, papai...
A voz ainda sonolenta da doce menininha apresentava um ar de susto e medo. Seu pai pôs-lhe a mão em seu rosto e lhe disse:
- Estou aqui minha princesinha!
Lúcio ficou surpreso com o despertar de sua filha. Não fizera barulho algum. Resolveu passar no quarto simplesmente para dar um suave beijo na testa de sua bela princesinha, que já dormia com um ar angelical. Entretanto, não tinha pretensão de acordá-la.
- Desculpe-me querida! Não queria acordá-la...
- Não me acordou papai... Eu estava tendo um pesadelo!
- Não se preocupe. Foi somente um sonho Angélica. Apenas um sonho...
- Mas foi ruim papai, muito ruim.
A voz da pequena criança, de apenas sete anos de idade parecia não querer sair. Ela estava com um tom de voz de quem quer chorar. Seu pai tentou acalmá-la, resolver apertá-la em um forte abraço.
- Quer me contar o pesadelo agora?
Angélica sussurrou:
- Papai...
Ela relutou em prosseguir. Estava com os olhos demonstrando que o sonho, realmente a aterrorizara.
- Pode falar minh…

Crônica de Novembro - (Re)Edição OU Você sabe o que aconteceu com os pintinhos?

Você se lembra do que aconteceu ano passado? No data de hoje, no ano passado?! Resolvi (re)postar aqui o texto desse período do ano...
Tarde de 04 de novembro. Decidi dar uma pausa em meu trabalho de conclusão de curso. Chamei minha mãe para irmos à casa de Alice, nossa vizinha. Chegando lá fui imediatamente para o quintal comer jabuticabas. A árvore estava carregada da deliciosa fruta preta, de modo que a madeira da jabuticabeira era quase imperceptível. Posteriormente fui mais ao fundo do terreno e derrubei cerca de dez mangas ubá para poder saborear mais tarde!
Mas o que mais marcou este dia não foi o doce sabor das deliciosas frutas negras, mas outra coisa. Ao sentar-me na varanda da cozinha, observei quatro pintinhos. Todos completamente sem penas, magros e embora, segundo Alice, possuíssem 3 meses de idade, variavam no tamanho de modo muito contrastante. Dos quatro filhotes, dois não possuíam uma das patas. Fiquei sabendo que ratos as roeram quando os pintinhos ainda eram bem novo…