quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

das coisas sobre o amor I

Quero amores passageiros
Paixão veraneia
Quero amores como eclipses
Raros, rápidos, intensos
Momentos únicos
Sem protelação

Sabe o que queria?
Amores passageiros
Amores plurais
Mais de um...
... Todos de uma vida
Simultaneamente
E ao mesmo tempo, redundantemente
Simplesmente amores
Sem classificações, sem definições
Sem determinações
Amores sem regras
Com regras iguais
Amores desregrados

Quero amar como amigo
Amar como amante
Mesmo que por apenas alguns instantes
Quero o amor primeiro
Relacionamento derradeiro
Tão sublime: Amor

Verbo sem conjugação
Perfeito por essência
Divino por excelência
Sobretudo sem distinção

Amigo, amante, amado
Vivendo e amando
Amando do verbo mandar
Amando do ato de amar
Quem no coração manda e desmanda?

Amar-te
Ir a Vênus
Na infinitude do universo
Unir os versos do poema
Poema de no máximo 120 anos: vida
Para tudo serve o amar
Talvez, até para amortecer corações

Amor te mata
A morte
Amor eterno: Ilusão

7 comentários:

  1. Por um momento me lembrou Neruda em Farewell y sollosos. Se não ficou claro, isso foi um grande elogio.

    ResponderExcluir
  2. "Amor te mata
    A morte
    Amor eterno: Ilusão "

    ÉÉR... é bem assim mesmo

    www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ah, que texto bonito *-*

    "Quero amar como amigo
    Amar como amante
    Mesmo que por apenas alguns instantes
    Quero o amor primeiro
    Relacionamento derradeiro
    Tão sublime: Amor"

    Tá de parabéns uai!

    ResponderExcluir
  4. Opa!!!
    Parabens

    http://blogdopelarau.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. demais!!
    http://blogdolazyboy.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Como prometi aqui em minha primeira visita, estou de volta, pq realmente curti o blog.
    o que tenho a falar desse novo post?

    bom, primeiro, já li muita gente tentando fazer releituras de um famoso poema do Vinicius De Moraes, provavelmente você conhece:

    "Que eu possa dizer do amor (que tive):
    Que não seja imortal, posto que é chama
    Mas que seja eterno enquanto dure"

    bom, todos que tentaram (que eu vi) fizeram poemas meia boca, sabe? e você, sem a intenção (provavelmente), conseguiu o que todo mundo tentou: dissertou sobre essa chama do amor, sobre a intensidade do mesmo, sobre sua divinidade (se essa palavra existir), tudo com clareza e beleza :)
    enfim, voltarei mais vezes aqui, com certeza!!!

    e obrigado por visitar o meu blog, espero que volte lá sempre também, tem coisa nova, tals!
    um abraço
    http://songsweetsong.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Amoor,ah o amor! haha
    esse assunto chama atençao de qualquer um! Adoro.

    Gostei do poema todo, mas os primeiros versos em particular são dignos de aplausos!
    hehe

    Abraços

    ResponderExcluir

Top 7